• Sertãozinho: 16 3942 7113 / Ribeirão Preto: 16 3963 6500
  • Seg - Sex.: 07h às 19h
26/04/2021
Imagem: photocreo, de envatoelements Imagem: photocreo, de envatoelements

Com diversas áreas da vida afetadas, o comportamento sexual durante a pandemia também sofreu alterações e pessoas que possuem uma vida sexual ativa puderam sentir o impacto da mudanças durante este período. Por este motivo, algumas barreiras são enfrentadas durante a pandemia, a exemplo do distanciamento social e quarentena.

De acordo com o Psicólogo Alex Fabian, existem formas de sanar a ausência de atividades sexuais ou saber lidar com as dificuldades encontradas de uma forma positiva. “Para as pessoas que vivem sozinhas, mas costumam ter uma vida sexual ativa e sentem falta disso, existem formas de lidar com isso e aliviar esse lado. Muitas pessoas recorrem à própria masturbação, também é possível usar essa energia extra para praticar alguma outra atividade como, por exemplo, exercício físico”, explica.

Para o psicólogo, quando se trata de casais que vivem juntos, a preservação do espaço pessoal é uma ação que gera bons resultados para a vivência sexual. “Para os casais, o mais importante é que haja diálogo para que eles entendam como estão hoje, como está a rotina deles e analisem se a convivência tem sido saudável ou não”, comenta. “A partir dessa análise, o casal pode partir para estratégias mais práticas, buscar fazer uma programação diferente no meio da semana para quebrar a rotina e entender que nem tudo se resume a sexo”, destaca.

Além de enfrentar as barreiras e encontrar outras ferramentas para suprir a necessidade sexual de cada indivíduo, na visão de Alex Fabian, é necessário tomar cuidado com os excessos. “É possível que essa ausência da atividade sexual possa ser canalizada de uma forma negativa, assim como pode ser de uma forma positiva. É muito importante que as pessoas tenham cuidado com os excessos. A masturbação, por exemplo, se não houver um equilíbrio, ela pode se tornar um vício. Comer em excesso e exercício físico em excesso também são formas de canalizar a energia para um lado negativo” pontua.

Segundo Alex Fabian, grande parte da rotina diária das pessoas foi prejudicada na pandemia e por isso, cada um precisou se adaptar do melhor jeito possível, por este motivo, o profissional ressalta o cuidado das relações de contato em meio a uma fase de alto contágio pela Covid-19. “A pandemia influenciou na rotina das pessoas, mas é importante analisar as alternativas possíveis para se manter em proteção”, salienta.

fonte: Infonet, escrita por Isabella Vieira e Aisla Vasconcelos